Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Parir em Paz

Parir em Paz

Ginástica de mãe com bebé faz sucesso nos EUA - e não só!

BBC Brasil:

Para muitas mães, fazer ginástica com o bebê pode ser a maneira perfeita de acabar com as gordurinhas acumuladas na gravidez.
A prática está fazendo sucesso em Los Angeles, nos Estados Unidos.
O carrinho do bebê é usado para um jogging leve, ou para ajudar em exercícios de flexão de braços e joelhos.
As mães dispensam halteres e pesos, e fortalecem os braços segurando firme e levantando os bebês.
"Esta é uma oportunidade para que eu dê um exemplo de condicionamento físico para a minha filha desde cedo", disse Ada Serdell, que tem um bebê de cinco meses.
"Marido e família ajudam nas primeiras duas semanas (após o parto), depois todos voltam para o trabalho", diz Cindy Smith, mãe de um bebê de oito meses. Ela afirma que se sentiria sozinha sem as aulas de ginástica.
"Imagine uma jovem mãe em casa com um bebê que chora o tempo todo e ela não entende o motivo. Está chorando por fome? Está chorando porque está molhada? Está chorando porque tem cólica? Por que está chorando? Ela não sabe a resposta", diz o pediatra Ralph Salimpour.
Segundo ele, se a jovem mãe sair de casa e encontrar outras mães, isso vai ajudá-la porque elas vão contar o que passaram e por que às vezes o bebê chora.
O pediatra acredita que as aulas coletivas podem até ajudar as mães a enfrentarem uma possível depressão pós-parto.
As aulas parecem animadas e a moda está se espalhando. Nos Estados Unidos já conta com 20 mil adeptas. Grupos semelhantes começaram a funcionar no Canadá e no Japão.
Clique e assista ao
vídeo .
Para mais notícias, visite o site da
BBC Brasil

 

Mas em portugal também, já temos estas aulas : Eu faço ginastica com a minha mamã! Podem ver  AQUI  as aulas de Mammy & Baby Gym!

...

A epidural cria uma separação entre a mulher e o seu corpo no momento em que ela mais tem necessidade de saber, e sobretudo sentir, o que está acontecendo. A mãe fica imobilizada, pregada numa cama durante todo o trabalho, sem a possibilidade de fiar-se em suas sensações - que praticamente deixam de existir. Ela só obedece às ordens do médico e sujeita-se às suas intervenções. A parte superior do corpo assiste, impotente e submissa, à intervenção médica efectuada na parte inferior. Incapaz de participar, a mulher fica condenada a suportar; quanto ao bebé, tem de enfrentar sozinho as contracções. A mãe é forçada a abandoná-lo em plena tormenta, nãoseguem juntos o mesmo percurso.

Quando o corpo consente, Marie Bertherat

Sabias que a amamentação beneficia o desenvolvimento cognitivo dos bebés?

  Um estudo norte-americano avaliou 220 bebés, através da Escala Bailey de Desenvolvimento Infantil aos 13 meses e das Escalas Wechler de Pré-Escola e Ensino Fundamental aos 5 anos de idade, com o objectivo de determinar o impacto do aleitamento materno exclusivo no desenvolvimento cognitivo dos nascidos pequenos para a idade gestacional. A conclusão foi que bebés pequenos para a idade gestacional amamentados exclusivamente (sem suplementos) apresentaram uma vantagem significativa no desenvolvimento cognitivo, sem comprometimento do crescimento.
Rao MR, Hediger ML, Levine RJ, Naficy AB, Vik T. Effect of breastfeeding on cognitive development of infants born small for gestational age. Arch Pediatr Adolesc 156: 651-655, 2002

  A amamentação apresenta potenciais efeitos benéficos de longo prazo na vida do indivíduo, através da sua influencia no desenvolvimento cognitivo e educacional na infancia. É essa a conclusão de um estudo britânico, que verificou que a amamentação estava associada de forma positiva e significativa aos níveis educacionais atingidos aos 26 anos, assim como à capacidade cognitiva aos 53 anos.
Richards M, Hardy R, Wadsworth ME. Long-tern effects of breast-feeding in a national cohort: educational attainment and midlife cognition function. Publ Health Nutr 5: 631-635, 2002

  Crianças norte-americanas em idade escolar (439), nascidas entre 1991 e 1993, com peso ao nascer inferior a 1,5 kg, passaram por vários testes cognitivos. Os
bebés com peso muito baixo ao nascer e nunca amamentados apresentaram valores mais baixos nos testes de função intelectual geral, capacidade verbal, habilidades espaciais-visuais e motoras do que a crianças que foram amamentadas.
Smith MM, Durkin M, Hinton VJ, Bellinger D, Kuhn L. Influence of breastfeeding on cognitive outcomes at age 6-8 year follow-up of very low-birth weight infants. Am J Epidemiol 158:1075-1082, 2003

  Crianças de mães filipinas de famílias de baixo rendimento foram acompanhadas do nascimento até á infância, e investigadas quanto à capacidade cognitiva aos 8,5 e 11,5 anos de idade. Após controle das variáveis, as crianças amamentadas durante 12 a 18 meses atingiram valores mais altos no Phillipines Nonverbal Intelligence Test. Os efeitos foram ainda maiores nos bebés com baixo peso ao nascer (1,6 e 9,8 pontos, respectivamente). A conclusão dos autores é de que a amamentação por período longo é importante após a introdução dos alimentos complementares, sendo ainda mais importante para os bebés com baixo peso ao nascer.
Daniels M C, Adair L S. Breast-feeding influences cognitive development of Filipino children. J Nutr. 135: 2589-2595, 2005
 
 

Evolução da duração do Aleitamento Materno em Portugal



Verifica-se, a partir dos três Inquéritos Nacionais de Saúde, que o Aleitamento Materno tem aumentado, no geral, em todas as regiões do país, com excepção do Alentejo.

Nos Açores e na Madeira só foram recolhidos os dados no último inquérito pelo que não se podem comparar com anos anteriores. É de salientar, no entanto, que é mais baixa a prevalência do Aleitamento Materno em ambas as Regiões Autónomas do que no resto do país, sendo a Região Autónoma dos Açores a que apresenta valores mais baixos.

Fontes:
Ministério da Saúde. Departamento de Estudos e Planeamento da Saúde. Inquérito Nacional de Saúde 1995/1996. Lisboa, DEPS, 1997.

Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Saúde Dr Ricardo Jorge.Observatório Nacional de Saúde. Inquérito Nacional de Saúde 1998/1999. Lisboa, ONSA, 2001.
Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Saúde Dr Ricardo Jorge.Observatório Nacional de Saúde. Inquérito Nacional de Saúde 2005/2006. Lisboa, ONSA, 2007.

Semana Mundial da Amamentação

Entre 1 e 7 de Agosto deste ano, comemora-se a Semana Mundial da Amamentação (SMAM).

O tema deste ano é a Amamentação em situações especiais, tais como emergências, catástrofes ou desastres:
Breastfeeding: a vital emergency response are you ready?



Podem consultar aqui o folheto da WABA (Português do Brasil).

Na página internacional da SMAM podem obter mais informações e ver dois vídeos que exemplificam como a amamentação pode salvar vidas em situações de catástrofe.
 

 

Sabia que um bebé alimentado a leite de formula tem maior risco de asma, que um bebé alimentado a leite materno?


  Um estudo de 1246 bebés saudáveis no Arizona (EUA) procurou determinar a relação entre o aleitamento materno e recorrência de respiração difícil. Os resultados mostraram que crianças não-atópicas, aos 6 anos de idade, que não foram amamentadas, tinham probabilidade três vezes maior de apresentar recorrência de "gatos".
Wright AL, Holberg CJ, Taussig LM, Martinez FD.
Relationship of infant feeding to recurrent wheezing at age 6 years. Arch Pediatr Adolesc Med 149: 758-763, 1995
 

  Um estudo de 2184 crianças no Hospital for Sick Children em Toronto (Canadá) mostrou que o risco de asma e respiração difícil era 50% maior nos bebés
alimentados por fórmulas, quando comparados a bebés amamentados por nove meses ou mais.
Dell S, To T. Breastfeeding and Asthma in Young Children. Arch Pediatr Adolesc Med 155: 1261-1265,

  Pesquisadores na Austrália Ocidental estudaram 2602 crianças para entender o aparecimento de asma e respiração difícil aos 6 anos de idade. A ausência de
aleitamento materno aumentou o risco de asma e "gatos" em 40%, quando comparado com bebés amamentados exclusivamente por 4 meses. Os autores
recomendam a amamentação exclusiva durante um mínimo de 4 meses para redução do risco de asma.
Oddy WH, Peat JK, de Klerk NH. Maternal asthma, infant feeding, and the risk for asthma in childhood. J. Allergy Clin Immunol. 110: 65-67, 2002

  Foi realizada uma revisão de 29 estudos para avaliar o efeito protector do aleitamento materno na asma e na atopia. Todos mostraram um efeito protector da
amamentação. A conclusão clara e consistente foi que a ausência do aleitamento materno coloca os bebés em risco de asma e atopia.
Oddy WH, Peat JK. Breastfeeding, Asthma and Atopic Disease: An Epidemiological Review of Literature. J Hum Lact 19: 250-261, 2003
Fonte: "Riscos da alimantação com formulas" IBFAN

Azia na gravidez

 

As hormonas libertadas durante a gravidez relaxam a válvula entre o esófago e o estômago, por isso os alimentos e os ácidos gástricos podem voltar, irritando o revestimento do esófago causando uma sensação de ardor.

A Pressão do utero sobre o estômago pode aumentar os sintomas, principalmente nas ultimas semanas.

A azia ocorre normalmente depois das refeições, mas pode ocorrer a qualquer hora devido a problemas emocionais, normalmente ligados á ansiedade.

Como prevenção, faz refeições pequenas, com intervalos frequentes, e termina o jantar com pelo menos 2 horas antes do deitar.

Beber uma infusão de erva-doce depois das refeições auxilia a digestão.

Come alimentos alcalinos, como iogurte ou leite, para aliviar o ardor, se não der resultado tenta alimentos moderadamente ácidos, como laranja ou sumo de tomate.

A papaia contém enzimas digestivas, as amêndoas com casca são uma boa alternativa e as ameixas ajudam bastante a digestão. Uma infusão de barba de milho  possui um efeito calmante e digestivo, uma colher de chá de ulmeiro em pó, misturado com agua ou leite neutralizam o estômago.

A Homeopatia também pode ajudar: Arsenicum 6c ou Natrum phosphoricum 6c três vezes ao dia ( se não der resultado consulta um homeopata ).

 

Quem tem mais sugestões?

 

8º Produto a abater: alimentação infantil com mel! - Artigo BabySol®

Muito Interesante este artigo: 

Vou Presa: 8º Produto a abater: alimentação infantil com mel!

Posted: 26 Jul 2009 12:20 AM PDT


Vocês desculpem...!
Eu aguento tudo! Aguento noitadas, aguento madrugadas, aguento birras de Bebés, aguento nervosos Administradores de fóruns, aguento problemas informáticos e aguento mamãs baralhadas...Mas o que eu não aguento (MAIS!!!!!!!!!!!!!!!!!!) é a má vontade de alguns industriais que põem o consumidor às avessas com produtos novos, atractivos e ... pouco saudáveis! Por isso, eu vou manifestar-me e dizer-vos quais os produtos que NÃO DEVEM nunca comprar...por isso corro um grande risco!!!!! SER PRESA...


Conto com vocês...se em 3 dias não der notícias, procurem-me... Fui presa! Qualquer semelhança com a realidade não é pura coincidência!

Já chega! Chega! Chega!

Anda aqui uma pessoa a pregar, como de uma missão se tratasse, para os pais não estimularem o paladar infantil ao sabor doce, para diluirem os sumos, para preferirem iogurtes naturais, para desprezarem os leites de crescimento comerciais, para destronarem os cereais infantis, para..., para... não contribuirem para o aumento diário de açúcar, para minimizarem os riscos da obesidade infantil e diabetes, para cortarem no açucar, cortar, cortar, cortar! E não é que a Indústria Alimentar inova agora com produtos, para consumo infantil (!!!), com mel?!!! Não é possível!
Por isso, entendo hoje por bem alertar para mais um mal colocado à nossa disposição no seguimento daqueles já contestados:

Vou presa - o começo da vingança!
Vou presa! - O 1º produto a abater: alho em pó!
Vou presa! - O 2º produto a abater: o iogurte que não precisa de frio!

Assim, gostaria de dizer-vos que o próximo produto a abater, o 8º produto a abater, é de CONSUMO INFANTIL, e corresponde a todos, todos, todos,

...os Produtos COM MEL na Sua Composição! !

Como se não bastasse a quantidade indesejável de açucar que constatámos sempre que análisamos um rótulo, eis que os Srs. Industriais, pressionados pela tendência de mercado em atrair as crianças pela doçura das suas ofertas, resolveram reduzir as suas quantidades...Mas o pior ainda estava para vir: eis que surge uma epidemia de produtos, de consumo infantil, enriquecidos com aquele fantástico, extraordinário ingrediente que a Natureza oferece...o mel!

É leite de crescimento, é papas de cereais, é papas líquidas, é iogurtes, é sumos, é boiões de fruta...é...é...demais! E ainda como se não bastasse ainda vejo rótulos destes: "100% FRUTA" e mais pequeno "e mel" Isto é ou não é publicidade enganosa?

Já sei: vão-me dizer que não é!? Pois, desculpem a minha ignorância... Açucar é o termo corrente para sacarose, e de facto, esse açucar não está lá...

Mas a verdade é que a glucose e a frutose, responsáveis pela doçura do mel, são hidratos de carbono simples e de facto, também considerados açucares... É apenas uma questão de oses, nada mais. Pois aos olhos do leigo consumidor, a adição de mel é benéfica, é natural, é terapêutica e...é uma inteligente forma de enganar as mamãs que vêem os seus filhos comerem tão bem estes produtos...pois claro!
Anda meio mundo de profissionais de saúde (nutricionistas, médicos, enfermeiros) a combater o consumo de açúcar e anda outro meio a fomentá-lo! Mas, afinal, quando é que remámos todos para o mesmo lado? Quando todos estaremos consciencializados para evitar que a epidemia do século XXI, a obesidade infantil atinja a nossa descendência?

Quando se irá perceber que os 1ºs anos de vida representam a fase de vida de um indivíduo onde a sua alimentação assume um papel vital?

Quando se perceberá que temos que actuar a nível profiláctico, actuando ANTES das doenças aparecerem e não depois...como respondem os alimentos funcionais desenvolvidos?

Pré-mamãs, mamãs, adultos, consumidores: desculpem-me! Mas a verdade crua e nua é esta: as crianças só comem aquilo que os adultos compram e lhes oferecem...nem mais! Não quero com isto dizer para não lhes oferecerem açúcar, nos diferentes produtos que o disponibiliza, mas:

- Façam-no com a máxima moderação!
Esta ideia deve permanecer para toda a vida, em todas as pessoas e independentemente da idade. A idade até aos 2 anos de idade, fase primordial da vida infantil que sujeita ao seu acelerado metabolismo, representa uma das faixas etárias mais críticas da vida;

- Contabilizem o açucar total ingerido por dia!
Analise subtilmente os rótulos dos vários produtos que oferece diariamente ao seu filho. Infelizmente em grande parte dos produtos existe açúcar: enlatados, pão, etc. Isto já para não falar naqueles produtos em que ele está presente naturalmente: lactose, frutose...

- Não permitam que o açucar substitua outros alimentos, de elevado valor nutricional
A rápida sensação de prazer que fornece, não satisfaz as necessidades de energia das crianças, deixando-as insatisfeitas! Além disso, contribui para a perda de apetite, se consumido perto das refeições!

- Mas dêem!
Não façam disso um fruto proibido. Ofereçam, a seguir às refeições e com extrema moderação, sempre com o máximo equilíbrio!

O mel representa de facto um elixir que a Natureza produz e nos oferece, mas para consumir apenas quando estámos doentes! Não devem fazer deste alimento, sobretudo na dieta infantil, uma rotina, não! Não! Não! Porque a criança, que está a desenvolver o seu paladar, estará também a desenvolver uma consequente apetência para o doce, de evitar! O mais possível!

Considerado um alimento absolutamente proibido antes dos 12 meses de idade, a verdade é que os industriais conseguiram contornar o potencial risco de botulismo que veicula, pasteurizando-o! Portanto, trata-se apenas de analisar o rótulo, a tabela nutricional e verificar o teor de açucar que oferece, por dose do produto. Mas lembre-se: a frutose é extremamente mais doce quando comparada com a convencional sacarose, razão pela qual é adicionado em menor quantidade mas com impacto de doçura semelhante. Portanto menor quantidade não é sinónimo de menos doce...Perceberam a ideia?

Dra. Solange Burri
Consultora em Alimentação

E agora eu pergunto: o que você tem feito para reduzir o açucar na dieta do seu filho?
E lembrem-se se em 3 dias não der notícias, procurem-me! Fui presa!

Constroi com sabedoria!

Um velho carpinteiro estava pronto para se aposentar.
Ele informou ao seu chefe, o seu desejo de sair da indústria de construção e passar mais tempo com sua família. Ele ainda referiu que sentiria falta do salário, mas realmente queria se aposentar.

A empresa não seria muito afectada pela saída do carpinteiro, mas o chefe estava triste em ver um bom funcionário a sair e pediu ao carpinteiro para trabalhar em mais um projecto como um favor.

O carpinteiro concordou, mas era fácil ver que ele não estava entusiasmado com a ideia.
Ele prosseguiu fazendo um trabalho de segunda qualidade e usando materiais inadequados.

Foi uma maneira negativa dele terminar sua carreira. Quando o carpinteiro acabou, o chefe veio fazer a inspecção da casa. De seguida entregou a chave da casa para o carpinteiro e disse:
“Esta é a sua casa. Ela é o meu presente para você”.

O carpinteiro ficou muito surpreso. Que pena! Se ele soubesse que ele estava construindo sua própria casa, ele teria feito tudo diferente.

O mesmo acontece connosco. Nós construímos a nossa vida, um dia de cada vez e muitas não investindo o máximo possível na construção.
Depois com surpresa, descobrimos que até precisamos viver na casa que nós construímos.

E apenas aí reflectimos: se nós pudéssemos fazer tudo de novo, faríamos tudo diferente.
Mas não podemos voltar atrás.

Tu és o carpinteiro.
Todos os dias martelas pregos, ajustas tábuas e constróis paredes.
Alguém disse que “A vida é um projecto que você mesmo constrói”.
As atitudes e escolhas de hoje, constroem a “casa” em que moramos amanhã.

Constrói com Sabedoria!

Pr Valtair Freitas

Semana de Cesariana...




Estamos a chegar á última semana antes de Agosto: Semana das induções e cesarianas!





Coisa que pode ouvir se tiver de mais de 36 semanas:

- Tem pouco liquido


- Tem muito liquido


- A sua placenta esta velha


- O seu bebé é muito grande


- O seu bebé está a crescer pouco


- O seu bebé está muito subido


- O seu bebé não está na posição certa

- O bebé não vai passar na sua bacia ( neste caso pede também a chave do euromilhões )

- .... mais ideias???



Se não te queres submeter a uma cesariana... INFORMA-TE


Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub