Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Parir em Paz

Parir em Paz

Manifestação - que se lixe a Troika

Sabem o que eu acho? que devíamos pegar nesta gente toda que vai à manifestação e fazer uma meditação de transmutação da energia... de medo, raiva e ódio em AMOR!! Era LINDO!! ♥ ♥ ♥
Foto: Actualização: 14/9/2012 - 03:00 Hrs (Veja legenda da corrente ilustração para informações  de cada um dos eventos ou para verificar a existência de outras cidades ainda não assinaladas neste mapa.)"Que se lixe a troika, Queremos as nossas vidas"Mapa das mobilizações até à data de publicação da corrente publicação. veja data, canto superior esquerdo da ilustração!Nota: nem todas as mobilizações são da responsabilidade dos organizadores da mobilização de Lisboa. Para mais informações consulte a página oficial em https://www.facebook.com/pages/Que-se-Lixe-a-Troika-Queremos-as-nossas-Vidas/177929608998626Eventos das mobilizações:Aveirohttps://www.facebook.com/events/278049435638057Bejahttps://www.facebook.com/events/280820525352356Barreiro (e zonas Limítrofes)https://www.facebook.com/events/411452312237341Bragahttps://www.facebook.com/events/193208664146461Bragançahttps://www.facebook.com/events/159027374221469Caldas da Rainhahttps://www.facebook.com/events/505685609459008Castelo Brancohttps://www.facebook.com/events/364171750330149Coimbrahttps://www.facebook.com/events/286774198102380Covilhãhttps://www.facebook.com/events/399063863480027Évorahttps://www.facebook.com/events/283258048444801Farohttps://www.facebook.com/events/396242360441093Figueira da Fozhttps://www.facebook.com/events/362094853868832Funchalhttps://www.facebook.com/events/280028472097234Guardahttps://www.facebook.com/events/497094853635387Lamegohttps://www.facebook.com/events/388941617840557Leiriahttps://www.facebook.com/manif15setembroLisboahttps://www.facebook.com/events/402643499798144Louléhttps://www.facebook.com/events/272073959576368Marinha Grandehttps://www.facebook.com/events/265066476945148Mogadourohttps://www.facebook.com/events/419280418129699Moncorvohttps://www.facebook.com/15DeSetembroEmMoncorvoPenichehttps://www.facebook.com/events/450334735009055Ponta Delgadahttps://www.facebook.com/events/225929477532546Portalegrehttps://www.facebook.com/events/113905518760436Portimãohttps://www.facebook.com/events/450862294958189Portohttps://www.facebook.com/events/155261837945257Santa Maria da Feirahttps://www.facebook.com/events/529227033760433Santarémhttps://www.facebook.com/events/466584090048831Setúbalhttps://www.facebook.com/events/461349953897845Sineshttps://www.facebook.com/events/355313907886920Tomarhttps://www.facebook.com/events/366027930140890Torres Novashttps://www.facebook.com/groups/137495896396057Vila Realhttps://www.facebook.com/events/225093957615991Viseuhttps://www.facebook.com/events/418194401573890--------------------------Eventos Internacionais--------------------------Alemanha | Berlimhttps://www.facebook.com/events/352599288157850Espanha | Barcelonahttps://www.facebook.com/events/284271018340955França | Parishttps://www.facebook.com/events/413575295363812Inglaterra | Londreshttps://www.facebook.com/events/307456592694602Brasil | Fortaleza, CEhttps://www.facebook.com/events/101250850031116Estados Unidos e Canadá (Em Trânsito)https://www.facebook.com/events/137506909728533--------------------------"Em Trânsito"--------------------------https://www.facebook.com/QueSeLixeATroikaQueremosAsNossasVidasemTransito©RebelPenhttps://www.facebook.com/pyka.miolos


"Chegou a altura de dizer: CHEGA! basta de viver sempre os mesmos padrões, basta de ter uma vida ao mesmo tempo confortável e miserável. Se alguma vez consideraste que se desses aquele passo poderia ser que tudo fosse diferente, esse dia é HOJE! Garantias de sucesso? Nenhumas! Garantias de fracasso? Nenhumas também! Tudo depende da tua capacidade de transformares tudo o que tocar em ouro, o ouro alquímico, o elixir da eterna juventude. No fundo tudo só depende de transformares a tua própria vida no teu sonho. Em vez de te queixares da Troika, TRANSCENDE!"

O Parto como Rito de Passagem


A expressão francesa “Rites de Passage” foi adotada por antropólogos e escritores europeus para definir todos os rituais e cerimonias que propiciam a passagem de uma pessoa para uma nova forma de vida ou um
 novo status social.Os ritos de passagem são cerimonias que existiram e existem em todas as culturas, antigas ou contemporâneas, primitivas ou urbanas, acompanhando cada mudança de idade, de lugar, de estado ou de posição social. Infelizmente, nas sociedades modernas estas celebrações foram reduzidas e outras deturpadas ( ex. batizado, casamento e enterro)

O nascimento de uma criança era considerado antigamente um ato divino, presenciado, assistido e celebrado apenas por mulheres ( parteiras, sacerdotisas, amigas) com cantos, orações e invocações das Deusas “responsáveis” pela gestação e o parto. Por considerarem a Criação um atributo da Mãe Cósmica, os povos antigos honravam as mulheres como detentoras do dom divino da procriação, por isso o ofício sagrado de trazer uma criança ao mundo era uma função natural e exclusiva das mulheres. As habilidades das parteiras eram ensinadas de mãe para filha, e os preparativos para o parto decorriam em uma atmosfera de harmonia e oração, a mãe amparada por ervas, massagens com óleos aromáticos, cânticos e oferendas para as Deusas. O recem-nascido era apresentado às Divindades e abençoado pelas mulheres presentes, invocando atributos e qualidades para a sua vida (foi daí que se originou a lenda das “fadas madrinhas”).

O próprio ato de concepção era planeado, preparando os pais para se conectarem com o espírito do seu futuro filho através de rituais, mudanças na alimentação, jejuns, purificações e orações.

Acreditava-se que ao se comunicarem com o espírito da criança, antes dela nascer, os pais criavam laços afetivos mais fortes, facilitando o relacionamento e aceitação recíproca. Mesmo hoje os nativos norte-americanos perfazem rituais para chamar e se comunicar com o espírito do futuro filho.

A primeira celebração após o nascimento de uma criança era para honrar a mãe (feita pelas mulheres), enquanto os homens festejavam o pai. A cerimonia de “dar um nome” à criança era programada escolhendo os aspectos planetários favoráveis, enterrando o cordão umbelical da criança junto de uma árvore frondosa (que então se tornava o guardião e aliado durante os anos de crescimento) e fazendo oferendas às Divindades para abençoar a vida da criança com saúde, segurança, força e abundância.

Adaptado
Foto: O parto como um Rito de passagemA expressão francesa “Rites de Passage” foi adotada por antropólogos e escritores europeus para definir todos os rituais e cerimonias que propiciam a passagem de uma pessoa para uma nova forma de vida ou um novo status social.Os ritos de passagem são cerimonias que existiram e existem em todas as culturas, antigas ou contemporâneas, primitivas ou urbanas, acompanhando cada mudança de idade, de lugar, de estado ou de posição social. Infelizmente, nas sociedades modernas estas celebrações foram reduzidas e outras deturpadas ( ex. batizado, casamento e enterro)O nascimento de uma criança era considerado antigamente um ato divino, presenciado, assistido e celebrado apenas por mulheres ( parteiras, sacerdotisas, amigas) com cantos, orações e invocações das Deusas “responsáveis” pela gestação e o parto. Por considerarem a Criação um atributo da Mãe Cósmica, os povos antigos honravam as mulheres como detentoras do dom divino da procriação, por isso o ofício sagrado de trazer uma criança ao mundo era uma função natural e exclusiva das mulheres. As habilidades das parteiras eram ensinadas de mãe para filha, e os preparativos para o parto decorriam em uma atmosfera de harmonia e oração, a mãe amparada por ervas, massagens com óleos aromáticos, cânticos e oferendas para as Deusas. O recem-nascido era apresentado às Divindades e abençoado pelas mulheres presentes, invocando atributos e qualidades para a sua vida (foi daí que se originou a lenda das “fadas madrinhas”).O próprio ato de concepção era planeado, preparando os pais para se conectarem com o espírito do seu futuro filho através de rituais, mudanças na alimentação, jejuns, purificações e orações. Acreditava-se que ao se comunicarem com o espírito da criança, antes dela nascer, os pais criavam laços afetivos mais fortes, facilitando o relacionamento e aceitação recíproca. Mesmo hoje os nativos norte-americanos perfazem rituais para chamar e se comunicar com o espírito do futuro filho.A primeira celebração após o nascimento de uma criança era para honrar a mãe (feita pelas mulheres), enquanto os homens festejavam o pai. A cerimonia de “dar um nome” à criança era programada escolhendo os aspectos planetários favoráveis, enterrando o cordão umbelical da criança junto de uma árvore frondosa (que então se tornava o guardião e aliado durante os anos de crescimento) e fazendo oferendas às Divindades para abençoar a vida da criança com saúde, segurança, força e abundância.Adaptado

Círculo de mulheres

https://www.facebook.com/events/485975454748557/

”Quando as mulheres se reúnem e fazem um compromisso umas com as outras para estar em um círculo, com um propósito espiritual, NO SENTIDO DE UNIÃO DE SUAS ALMAS, elas estão criando um vaso de cura e transformação de si mesmas, e sendo veículo para a mudança em seu mundo. 

Estes são os círculos de compaixão que podem tornar-se incubadoras de mudanças políticas, sociais e pes
soais. Um círculo igualitários com um centro sagrado é um modelo mais facilmente criado por mulheres, mas é uma forma não limitada às mulheres. Círculos com um centro sagrado são o meio pelo qual uma terceira onda do feminismo, com base na igualdade espiritual e compaixão, podem provocar uma mudança evolutiva na sociedade humana, que acabaria com a violência e o terrorismo, promovendo condições para um mundo que seja seguro para as crianças e para nós mulheres.
Em um mundo onde o exercício do poder é o que importa, as crianças do sexo feminino não são importantes e os meninos são ensinados a dominar uns aos outros, aprendem a prática da dominação através do ridículo, de meios físicos, de intimidação a fim de serem respeitados. São meninos que se transformarão em homens e que entenderão que o poder é um antídoto para o medo e a humilhação. Isto é como o patriarcado socializa seus meninos e homens e os torna violentos.
Um círculo de mulheres que confiam umas nas outras torna-se um santuário para as participantes, especialmente quando as mulheres são capazes de falar de experiências nas quais ela foram abusadas, humilhadas ou testemunharam algum tipo de violência. Um lugar seguro para dizer a verdade, é um espaço de cura: uma pessoa abusada emocionalmente tem uma dupla ferida: a dor do que foi feito com ela e a dor da vergonha. Na psique de cada mulher abusada ou violentada além da vergonha existe um sentimento de indignidade e rejeição. Toda vez que uma mulher adquire a coragem de falar e se mostrar segura, a confiança cresce e sua psique gradualmente se cura.

Um círculo é um lugar seguro também para expressar a esperança, as intuições, a tristeza e a raiva, que são parte de todo processo terapêutico. A intenção de estar em um círculo com um centro espiritual convida o mundo invisível do espírito ou da alma para estar no centro do círculo e no centro da psique de cada pessoa no círculo. Por meio do silêncio meditativo ou de oração silenciosa, sabedoria e paz podem entrar. Nos Círculos as mulheres podem dizer em voz alta o que passa em seus corações e mentes ao mesmo tempo que têm a capacidade de ouvir com compaixão.
Círculos evocam um sentimento de irmandade e também um sentimento de estar em um espaço materno arquetípico. Reviver o arquétipo da irmã e o arquétipo da mãe é possível para a maioria das mulheres (mas não todas, porque estes não são os arquétipos ativos em algumas mulheres) para se identificar com outras mulheres. É a capacidade de sentir uma ligação empática que torna as mulheres capazes de imaginar o que seria estar em ambos os lados da divisão israelense-palestino, ou ser uma mulher sob o regime Taliban ou uma criança abandonada e vulnerável. É um ponto de vista que não vê a guerra como algo a ser vencido, mas como uma causa de morte e sofrimento para todos, inocentes, especialmente mulheres e crianças. Um soldado é ensinado a matar, que é também o que um terrorista é ensinado e estas não são lições que as mulheres querem que seus filhos aprendam.

Os círculos são os meios pelos quais as mulheres têm melhorado a situação para as mulheres. Nos Estados Unidos, o movimento começou em meados do século XIX, com um círculo de cinco amigas. Encontraram resistência por parte de autoridade masculina. Este movimento resultou no direito das mulheres ao voto, à propriedade e aos seus próprios salários. O avanço seguinte veio através do movimento de mulheres a partir da conscientização e da formação de outros grupos de mulheres que resolveram trabalhar efetivamente juntas. Elas fizeram reivindicações e romperam a resistência à mudança por meios pacíficos.
O Movimento de mulheres é uma rede invisível de amizade entre mulheres e existe graças à capacidade das mulheres de se relacionarem umas com as outras por meio da conversa e, em seguida, ter uma influência sobre os homens e as instituições.

Mulheres em círculos trazem consciência do que precisa ser mudado na sociedade.

O poder invisível dos círculos de mulheres é extraordinário: Auto-estima, realizações, desenvolvimento de talentos. Tudo isso tem a ver com o fato de que somos ouvidas e valorizadas, amadas por nós mesmas, incentivadas e apoiadas. Quando há apoio psicológico e prático para fazer uma mudança significativa, a mudança é mais provável de acontecer. Quando os outros acreditam em nós ou tem a mesma perspectiva que temos isso gera um efeito poderoso e invisível.

Em círculos, tornamo-nos modelos umas para as outras, o que a outra fez ou está fazendo torna-se possível para nós!"

Jean Shinoda Bolen

O NASCIMENTO no sentir de um bebé - vamos mudar o mundo?


"Para mudar o mundo é preciso mudar a forma de nascer" - M. Odent

Gostavas de ter nascido assim?


Assim? (Mariana Maffei Feola filha da apresentadora Ana Maria Braga)

Para o bebé, o parto representa a transição. É quando sai do conforto uterino e depara-se com um mundo totalmente desconhecido. A sua pele nunca foi tocada, nunca os seus olhos sentiram tanta luz, nunca respirou e nunca esteve num espaço sem contensão física, sem se sentir amparado, abraçado, contido pelo útero, que  é apertado, escuro, húmido e macio, só não é silencioso, mas tem ruídos bem diferentes dos que ouvimos cá fora.

O nascimento é a experiência sensorial mais intensa da nossa vida! Em que os cinco sentidos são hiperestimulados de uma só vez! Logo que nasce, o bebé precisa de respirar bruscamente, é esfregado para tirar a "sujidade" do parto ( como é que alguém pode dizer que um bebé nasce sujo! ),  tem suas via aéreas aspiradas por uma sonda enquanto escuta o tilintar dos instrumentos de metal. Será que ninguém pensa nisto?

Após receber cuidados protocolares e invasivos, o bebé conhece rapidamente a mãe e segue para o berçário, muitas vezes sem mamar, onde alguns minutos se transformam em horas para um recém-nascido, estendido numa posição totalmente nova... como é que podemos esticar um bebé que passou nove meses enrolado e contido???

Esse é o tratamento que os bebés nascidos em Portugal. Nas primeiras duas horas de vida, em que o estímulo de sucção é mais forte no bebé e a pega para a amamentação poderia ser praticada, está longe da mãe... ( ainda bem que cada vez há mais hospital que não separam o bebé da mãe!!!)

 É cada vez mais comum mulheres terem problemas para dar de mamar e a falta de incentivo à amamentação na primeira hora de vida certamente está associada a este fenómeno. A ciência já provou que o melhor alimento para o bebé é o leite materno. Então, podemos começar a mudar o mundo por aqui: proporcionando um alimento rico em proteínas, vitaminas e no ingrediente fundamental que nenhum outro leite artificial tem: anticorpos! É a melhor vacina para um recém-nascido!!

Se querem mudar o mundo, comecem por mudar a forma como nascem os nossos bebé ! 

Espreitem :






Gravidez, parto e Maternidade como um caminha espiritual - aulas de YogaReiki para grávidas ou mulheres que querem engravidar


Hoje, 2ª feira dia 10 de Setembro vamos trabalhar o 1º chakra - raiz




Muladhara significa raiz. Este é o primeiro Chakra.

Hoje vamos trabalhar  o  colo do útero, onde se juntam o útero e a vagina. É a residência de Kundalini Shakti.

O Chakra da Raiz é sobre estar bem fisicamente. É onde se concentra (ou deve se concentrar) o fogo humano. A vontade, a ação. Mas com o passar do tempo,  transferimos essa energia para a cabeça, então ocorre a frustração, o fracasso, a depressão.
É muito importante manter as nossas noções de força equilibradas. Porque esse chakra é determinante pelo repouso no momento de cansaço. É ele quem suporta o desconforto do corpo - importantíssimo para o parto ;)
Se este chakra estiver aberto, sentimos-nos  estáveis e seguros. Não desconfia desnecessariamente das pessoas. Sentimos-nos no aqui e agora, conectadas com o nosso corpo físico.

Se estamos medrosas ou nervosas, o nosso Chakra da Raiz esta provavelmente sob-ativo.Se este chakra for sobre-ativo, temos tendência para ser muito materialistas,  gananciosas, obsessivas e resistes a mudança.



Exemplo de um exercício que vamos fazer:
Para reenergizar seu chakra raiz faça o seguinte exercicio: sente-se como na figura abaixo. Cuidado com sua postura. Respire fundo, usando seu diafragma e curvando-se (como na foto) usando o apoio de suas mãos sobre os joelhos, sinta a região baixo ventre contraindo-se.
Repita essa posição várias vezes. Sinta o movimento do seu corpo e da energia.


reenergizando o chakras


Vem fazer uma aula sem compromisso!


Muito mais que aulas de yoga, pilates ou yoguilates para grávidas, são encontros de Mulheres que estão grávidas ou pretendem engravidar.

 Porque a energia feminina é divina, o nosso objectivo é "empoderar" mulheres para que acreditem no seu corpo e na sua capacidade inata para gerar e parir um novo ser...

 São encontros de 1h ( ás vezes 1h30m) onde vamos trabalhar a parte física e espiritual com posturas de yoga e pilates, recorrendo ao poder da meditação...

 Todas as mulheres estão fisicamente aptas para dar à luz, mas a mente e o espírito estarão?

 Divide-se em 4 partes
 • Aquecimento ou saudação ao sol
 • Parte fundamental ( onde trabalhamos músculos importantes para ajudar na gravidez, parto e pós parto )
• Relaxamento e Reiki
• Meditação Benefícios
 • Melhora a postura corporal
 • Previne e alivia as dores nas costas
 • Estimula o sistema circulatório, prevenindo o aparecimento de varizes e o inchaço das pernas, principalmente no final da gravidez.
 • Aumenta a flexibilidade e fortalece a musculatura do soalho pélvico.
 • Melhora a respiração.
 • Diminui as tensões e relaxa, atenua a ansiedade.
 • Eleva os níveis de concentração.
 • Reorganiza todo o corpo, estimulando o uso da técnica ao longo do dia.

 Encontros / aulas ás 2ª - 19h, em Sª João das Lampas - Sintra ( também disponível ao domicilio ) Contribuição: 20 euros por mês( pago na 1ª 2ª feira do mês ) ou 8 euros por aula

Mais informações: parirempaz@gmail.com


A pílula - libertação ou escravidão feminina?

A pílula não é imprescindível, nem inofensiva!
A pílula entrou em Portugal como terapêutica em 1962 pelas mãos da farmacêutica Schering Lusitana (entretanto comprada pela Bayer) e só em 1974 foi aprovada pelo Infarmed como anticoncepcional. Hoje no mercado português há 53 contraceptivos orais, num consumo anual que ronda as oito milhões de embalagens, mas caiu 9,1% entre 2005 e 2009

Como actua a pílula?
"A maturação dos folículos necessita de hormonas da hipófise (glândula endócrina junto ao cérebro), a FSH (Folicle stimulating hormone ou hormona estimuladora do folículo) e também a LH. Normalmente surgem vários folículos ováricos (cada um com 1 ovócito) em crescimento que, ao aumentarem de tamanho, excretam estrogénios em cada vez maior quantidade que actuam por feedback negativo na hipófise, havendo redução progressiva da libertação de LH e FSH. Os vários folículos então competem por essas escassas hormonas, sendo que o maior folículo (que tem maior superfície e portanto mais receptores para elas) é activado suficientemente e os menores degeneram. Esse folículo maior então produz cada vez mais estrogénio, até que em altas concentrações ocorre conversão do feedback negativo em feedback positivo que leva à excreção em massa de LH e FSH que estimulam o rompimento do folículo e a ovulação.


A administração de doses baixas mas constantes de estrogénio e progesterona inibe a produção de FSH e LH na hipófise, por feedback negativo enquanto todos os folículos são ainda pequenos. A diminuição das concentrações de FSH e LH leva ao não desenvolvimento dos folículos que surgem, já que nenhum deles é suficientemente grande para ter receptores de FSH suficientes para não degenerar.


Ou seja, há como que uma simulação da produção de estrogénio por um folículo grande apesar de nenhum existir (porque o estrogénio vem do medicamento), e portanto todos os folículos degeneram de acordo com o mecanismo normal de "selecção natural" de apenas um deles, o maior, para ovular. Devido à pílula ele não existe, portanto não há ovulação de nenhum."


Wikipedia

Basicamente a pílula faz com que o nosso corpo acredite que estamos grávidas, alterando o nosso sistema endócrino, tendo numerosos efeitos secundários físicos que afectam o nosso organismo , alguns destes efeitos são graves:

  • Alterações do humor e comportamento ligeiras.
  • Subida da tensão arterial ligeira.
  • Aumento da hormona tiroxina da tiróide.
  • Aumentam o colesterol e os outros lípidios moderadamente.
  • Maior pigmentação cutânea (escurecimento da pele)
  • Aumento ligeiro da função cardíaca.
  • Por vezes  ligeiro efeito virilizante (devido à pequena actividade androgénica da progesterona), menos pronunciado nas pílulas de última geração.
  • Aumento de peso
  • Retenção de líquidos
  • Redução da libido
  • Depressão
  • Tromboses e embolia
  • Enfarte do miocárdio
  • AVC
  • Cancro do colo do útero se houver infecção com vírus do papiloma humano.
  • Perda de cabelo
  • Eritema
É claro que emocionalmente , estes medicamentos desvinculam-nos com a sabedoria feminina ao impedir a comunicação interna entre as nossos hormonas, útero e ovários.

Milhões de mulheres estão conectadas com a industria farmacêutica e não com o ciclo lunar, e não com elas mesmas....

Pergunto-vos eu, será a pílula uma forma de libertação das mulheres... ou uma forma de escravidão?

Criticar a pílula não quer dizer anti-feminismo , quer dizer não concordar com uma concepção incompleta e falsa das mulheres!

Existem outros métodos anticoncepcionais que respeitam o ciclo feminino e o próprio corpo , são eficientes e aumentam o nível de conhecimento pessoal,  conectam-nos com o nosso sagrado feminino.  Permitem o auto-conhecimento da fertilidade feminina, pois, enquanto o homem  é fértil em qualquer momento de sua vida adulta, a fertilidade da mulher é cíclica.


Além disto, a tecnologia também chegou à anticoncepção natural , são vendidos dispositivos com microcomputadores que armazenam os dados e indicam claramente o estado de fertilidade .
Deixo alguns exemplos:

  •  Os analisadores eletrónicos de hormonas - verificam os níveis das hormonas que são alteradas periodicamente durante o ciclo de fertilidade da mulher acumulando a informação numa base de dados, o que os possibilita fazer um prognóstico com alto grau de precisão da aproximação do período fértil da mulher. Os mais difundidos são o  PERSONA e o CLEARPLAN.
  • Exame salivar com microscópio de bolso  - A estrutura microscópica da saliva e do muco cervical variam se a mulher está no dia fértil ou não. Observando-se a saliva ou o muco cervical através desses aparelhos, os casais podem determinar se a mulher está fértil ou não. Existem diferentes marcas desses aparelhos, as mais conhecidas são o Ovulator e o PG-53.
  • O termometro eletronico é um pequeno aparelho computadorizado que indica os dias férteis da mulher utilizando-se de dados da temperatura basal e do muco cervical. Os mais conhecidos são o L-Sophia e o Bioself (temperatura basal + método Ogino).
Pessoalmente prefiro Métodos naturais sem equipamentos.

A mulher só é fértil durante aproximadamente 10 horas no mês, que é o tempo de vida do óvulo depois de sua saída do ovário, o que ocorre apenas uma vez por mês.
Há três sinais anteriores à fertilidade que podem ser usados na observação:

1.Temperatura basal.

2.Secreção vaginal (os sistemas que confiam exclusivamente no secreção vaginal incluem o método de aviso da ovulação, o modelo de Creighton, e o método dos dois dias)

3.Posição colo do útero (nenhum estudo foi conduzido em mulheres que seja exclusivamente sobre observações do colo do útero)

Método Sintotérmico é a combinação da observação da Temperatura basal, do Secreção vaginal, e às vezes da posição colo do útero.

Método Rítmico, o método natural mais antigo que se conhece é o Ogino-Knauss, também chamdo de Método de Ogino-Knauss ou Calendário ou Tabelinha, que permite obter, mediante cálculos matemáticos, os dias de fertilidade do casal, levando em conta que a mulher ovula apenas uma vez ao mês, nos 14 dias antes da próxima menstruação e que o óvulo vive aproximadamente 10 horas após a ovulação e o espermatozóide 72 horas depois da ejaculação, no muco fértil.

Quando os ciclos são regulares o método é útil, porém, dadas as frequentes irregularidades, o método tem muitas falhas que geralmente se produzem porque o tempo entre a menstruação anterior e a ovulação depende da hipófise e ela por sua vez do hipotálamo e este do córtex cerebral; de maneira que qualquer stress poderá fazer com que a ovulação se atrase ou adiante. O mesmo não acontece com a segunda fase do ciclo que, quase sempre, é regular para toda mulher e que dura aproximadamente duas semanas, entre a ovulação e a menstruação seguinte.

Os cálculos são feitos tomando-se em conta os 12 ciclos anteriores. Do ciclo mais curto subtrai-se 19 dias e do ciclo mais longo 11 dias. C=19 e L=11. Por exemplo, suponhamos que a duração dos ciclos nos 12 meses anteriores foram de: 28, 27, 31, 32, 28, 30, 29, 32, 30, 28, 32 e 28 dias. O mais curto é de 27 dias e o mais longo de 32. Nesse caso teremos 27-19 = 8 e 32-11 = 21, de forma que por este método o casal seria fértil do dia 8 ao dia 21.

No caso de adiar uma gravidez o casal pode ter relações desde o primeiro dia da menstruação até o 8º dia e a partir daí deve guardar abstinência até o 21º dia a partir do qual pode reiniciar as relações. Este método tem um índice de segurança de apenas 64%.

Método da Temperatura Basal

O método da temperatura basal tem como fundamento o aumento da temperatura que a progesterona provoca na mulher. Esta hormona começa a circular na segunda fase do ciclo menstrual. Quando a temperatura da mulher sobe é sinal de que ovulou.

Normalmente a temperatura sobe 2 décimos de grau Centígrado ou 4 Farenheit. Para registrar esse aumento de temperatura há que medir, diariamente, a temperatura basal com o mesmo termometro, nas mesmas condições e às mesmas horas, após duas horas de repouso, no mínimo.

Para adiar uma gravidez pelo Método da Temperatura Basal, deve-se guardar abstinência sexual desde a menstruação até três dias após o aumento da temperatura (2gC ou 4gF) além dos seis dias anteriores. É a conhecida regra de 3/6. Este método tem uma segurança de 99% mas exige uma abstinência muito prolongada.

Método aviso da ovulação

O Método aviso da ovulação é um sistema natural e gratuito de regulação da fertilidade baseado na determinação, por parte da própria mulher, das fases férteis ou inférteis de seu ciclo menstrual, reconhecidas pela observação diária da Secreção vaginal recolhido à entrada da vagina.

Este muco apresenta variações durante o ciclo feminino, durante o período de fértil  apresenta-se mais espesso e coeso podendo ser observado ( quando manuseado ) a formação de um fio entre os dedos.

Este método consiste em anotar diariamente em um gráfico as mudanças que observa na secreção vaginal. Com este método a mulher deve passar um papel higiénico na vagina antes e depois de realizar as suas necessidades e observar se aparece ou não o muco, bem como as suas características.

Método da auto-apalpação do colo do útero

O Método da Auto-apalpação Cervical é baseado nas mudanças das características do colo uterino, conforme o momento do ciclo menstrual pelas influências hormonais. Quando a mulher é fértil o colo está alto, macio e com o orifício central entreaberto, enquanto que na fase infértil o colo está baixo, encontrando-se muito facilmente quando se introduz os dedos na vagina, e está duro com o orifício externo fechado.

Método Sintotérmico

O Método Sintotérmico não é um método como tal, mas uma combinação de vários métodos uma vez que combina o cálculo pré-ovular de Ogino, as alterações do muco cervical do Método Billings, o registro da Temperatura Basal, a autopalpação do colo e cólica intermenstrual da ovulação. Pode-se utilizar a combinação de todos estes métodos ou apenas alguns deles. Quando se deseja adiar um gravidez usa-se para começar a abstinência no primeiro dos sinais ou cálculos da fertilidade que apareça e termina-se a abstinência no último dia do último método.
Os métodos naturais não fazem mal nenhum à saúde da mulher ( nem do homem) , são livres de efeitos colaterais. A liberdade e os direitos da mulher ( e do homem )  são respeitados.

Os métodos naturais desenvolvem uma relação inter-pessoal mais profunda entre os casais, baseada na comunicação, nas decisões compartilhadas e no respeito recíproco. Fortalecem o casal e, portanto, a vida familiar. E o mais importante.... CONECTAM A MULHER COM O SEU LADO MAIS FEMININO E SAGRADO!

Menstruação Sagrada



A palavra “menstruação” deriva do latim mens e significa “lua” e “mês”. Segundo Priscila Di Cianni, a “primeira forma de medir o tempo foi pelo ciclo menstrual das mulheres.
A sincronia entre o ciclo lunar e o menstrual refletia o vínculo entre as mulheres, a Lua e as deusas da fertilidade”.Muitos estudiosos do assunto afirmam que no passado acreditava-se que “o poder da mulher viria de seu sangue, e por isso ela não deve desprezá-lo, mas considerá-lo sagrado. Era como se o sangue menstrual ligasse a mulher ao poder da Criação”.

 As religiões e as mitologias dão uma boa indicação disso, senão vejamos:

 “O deus Nórdico Thor alcançou a terra mágica de encantamento e vida eterna por banhar-se em um rio cheio com o sangue menstrual das “mulheres gigantes”. As Primeiras Poderosas” que governavam os deuses mais antigos antes que Odin trouxesse seus “Asiáticos” do leste”.

 Os índios da América do Sul dizem que toda a humanidade foi feita de "sangue menstrual. Uma concepção presente também na Mesopotâmia, na qual a Deusa Ninhursag (Grande Mãe) fez a raça humana com barro e com o "sangue da vida".

 Para os taoístas, um homem que anseia à imortalidade ( ou ter uma vida longa), precisaria do sangue menstrual, do suco vermelho yin, oriundo do "Portão Misterioso da mulher".

 No entanto, com o surgimento das sociedades patriarcais, o sangue menstrual passou a ser visto como sujo e maligno, "o que não deixa de ser irônico, visto que o sangue menstrual é o maior indicativo da fertilidade de uma mulher".

 Notemos que são muitos poucos, hoje, inclusive entre as mulheres, que valorizem a menstruação da mulher, ao contrário, é um discurso comum as lamentações em torno da fase de menstruação.No próprio texto bíblico, as mulheres menstruadas passaram a ser “consideradas impuras e sujas e deviam ser mantidas longe da restante família, dos lugares santificados e de todas as coisas santas durante a duração do seu período”.

 Mirella Faür: “Enquanto que nas sociedades matrifocais as sacerdotisas ofereciam seu sangue menstrual à Deusa e faziam suas profecias durante os estados de extrema sensibilidade psíquica da fase menstrual, a Inquisição atribuía a esse poder oracular a prova da ligação da mulher com o Diabo, punindo e perseguindo as mulheres ‘videntes’. Originaram-se daí a imensidão de tabus, de proibições e de superstições relacionadas ao sangue menstrual, o vermelho feminino incorpora, então, aspectos obscuros e depreciativos.Para a autora "milênios de supremacia e domínio patriarcal despojaram as mulheres de seu poder inato e negaram-lhe até mesmo seu valor como criadoras e nutridoras da própria vida ”.Mirella chega a afirmar que o resultado de tudo isso “é a tensão pré-menstrual, as cólicas, o ciclo desordenado, o desconhecimento dos ritos de passagem e dos mistérios da mulher”.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub