Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Parir em Paz

Parir em Paz

Feliz Mabon (Equinócio de Outono)!


Mabon é um dia especial cá em casa, celebramos o equinócio de outono.



O equinócio de outono é um período de equilíbrio ( dia e noite são iguais), marca o fim da colheita e a ação de graças pela abundância. É um período de recolhimento e agradecimentos por tudo o que tivemos.  Cá em casa temos uma mesa farta,repleta de alimentos e partilhamos com todas as pessoas que amamos. Vamos fazer pão para oferecer aos amigos!


É um dia para  agradecer aos nossos ancestrais pelas dádivas que  nos deixaram e nos transformaram naquilo que somos hoje. Meditamos sobre as alegrias de sua vida,a liberdade e a maravilha da humanidade como um todo e abençoamos todos que fazem parte da nossa vida!
Decoramos a casa com ramos de ervas secas, girassóis, folhas secas, batatas, bagas, espigas de milho e abóboras....


- Elaboramos uma cornucópia para prosperidade

- Fazemos bonecas mágicas de maçã

- Andamos pelos campos

- Fazemos grinaldas para oferecer à Natureza como agradecimento

- Fazemos vassouras mágicas

- Fazemos amuletos

- Confeccionamos uma Rainha da Colheita

- Fazemos uma oferenda aos deuses com frutas e folhas

- Enchemos uma cesta com cones de pinheiros,folhas secas coloridas,trigo, bolotas de carvalho, espigas de milho e ramos de pinheiro que fica à nossa porta de entrada para atrair boa sorte.


UM FELIZ OUTONO PARA TODOS!
DEIXO-VOS A HISTÓRIA QUE VOU CONTAR LOGO À NOITE!
(continua...)



Lila Libélula acordou com pingos de chuva no seu nariz. A noite anterior tinha sido extremamente quente

e a pequena libélula dormiu com as janelas abertas. A manhã chegou chuvosa e, como resultado, Lila Libélula acordou encharcada. Ela morava num grande jacarandá no meio de uma floresta imensa e muito bonita. Lila Libélula era um inseto muito alegre. Adorava brincar. Naquela manhã tinha combinado com sua melhor amiga, a Bruna Borboleta, um passeio até a Grande Cachoeira que havia no meio da floresta. A chuva ia atrapalhar o passeio e Lila Libélula ficou de mau-humor. Levantou-se rápido da sua pequena cama de folhas e pôs-se a passar cera de abelha no seu corpinho com muita má vontade. Sua mãe a D. Libélula,percebendo a irritação da filha,perguntou:

-Lila, querida, acordas sempre a fazer barulho com as asinhas...o que aconteceu?

-Mãe, olha a chuva...logo hoje que eu e Bruna Borboleta íamos até a cachoeira...agora vai ser um dia perdido.
Nem vou poder ir até o lago para brincar com os peixes. Estou irritada, irritadíssima!! A Mãe Natureza podia ter deixado essa chuva para outro dia.

A mãe de Lila Libélula suspirou. Ela bem sabia o quanto a chuva era importante para a floresta. Sabia que da água que caía, viria a sobrevivência das flores, das árvores e de toda a vida. Sentou-se calmamente na beira da caminha de folhas de Lila e perguntou docemente:

-Lila,  sabes em que estação do ano nós estamos?

Lila olhou para a sua mãe com uma cara de quem não estava a entender nada,mas respondeu:

-Estamos no fim do verão mãe, todos sabemos disso. O calor fez-me dormir com as janelas abertas.

D. Libélula sorriu.. lembrou-se do quanto era lindo o pôr-do-sol nos dias quentes de verão.

-Sim Lila, estamos no mês de Setembro. É a entrada do outono, a estação das folhas que caem. O Deus já está partindo e a Deusa já sabe que em breve seu filho nascerá novamente. É o ciclo natural das coisas, filha.

-A Deusa, mãe? Quem é a Deusa? - perguntou Lila Libélula começando a sentir uma pontinha de curiosidade naquela historia.

-A Deusa é Aquela que chamamos de Mãe Natureza. Ela é quem criou tudo que conseguimos ver aqui na floresta e para além dela. Ela criou o céu, as estrelas, criou a mim e a ti também!

Lila Libélula, cada vez mais curiosa, perguntou de novo:

-Ela também criou a Bruna Borboleta?

D. Libélula sorriu, aquele sorriso que só as mães sabem dar.

-Sim querida. Ela criou a Bruna. A Deusa é a criadora e é ela quem dá vida a todas as coisas. São mistérios para ti agora. Mas verás que a natureza possui cíclos que se repetem sem parar. Sempre será outono depois do verão e depois dele será o inverno.

Lila ainda não estava satisfeita:

-Mãe porque chove com a chegada do outono?

A mãe respondeu:

-Uma vez Lila, ouvi um ser humano cantar uma música que explica bem isso. Era mais ou menos assim: "são as águas de setembro fechando o verão e a promessa de vida no seu coração". As chuvas vêm nessa época para lembrar que o outono está a chegar e que é tempo de comemorar a sua chegada. Olha para a janela. Vê como as plantas todas estão satisfeitas com a chuva que cai. Elas dançam sem parar, movem-se no vento. Não é lindo?

Lila aproximou-se da janela devagar,meio desconfiada. Quando viu as plantas todas molhadas de chuva,dançando ao vento, com as gotas a brilhar como pedras preciosas, não pôde deixar de sorrir. A Mãe Natureza era maravilhosa. Tudo tão perfeito,numa sintonia invejável...

-Mãe - disse Lila - podemos fazer uma festa para o outono?

- Uma festa para o outono, minha filha?

-Sim mãe, uma festa!
E assim Lila Libélula começou a maquinar na sua pequena cabecinha verde-musgo como seria uma festa para saudar o outono.

Quando a chuva parou, Lila Libélula saiu para convidar os seus amiguinhos para a celebração do outono. Chamava-se MABON!
 Lila voava alegre, sempre maravilhada com as cores verdes e castanhas que a floresta tinha. As folhas caídas no chão e o cheiro de terra molhada eram o melhor perfume que Lila Libélula podia sentir.

A primeira paragem foi na casa de Bruna Borboleta.

-Bruna, Bruuuuuuuuna....acorda borboleta dorminhoca!!!! Saia já daí, temos uma festa para fazer. Acoooooorda!!!!

Bruna Borboleta, era uma graciosa borboleta com asas azuladas e pretas.
- Lila, que gritaria, logo agora que eu estava no meu melhor soninho...

-Bruna temos uma festa de Mabon para preparar. Ajudas-me?

-Mab-bon?? De onde tiraste essa idéia maluca Lila?

Lila Libélula fez cara de superior. Ajeitou as asinhas e disse com muita segurança e seriedade:

-Mabon, a celebração da chegada do outono. É a época das folhas caírem e da Deusa se despedir do Deus que vai partir e que vai nascer de novo...
Bruna continuava com cara de quem achava que a amiga estava realmente a ficar com as antenas envelhecidas:

- Lila, Lila, acho que bebeste seiva de carvalho demais.
- Bruna, eu estou bem! Sente esse cheiro de terra molhada, vê como as folhas estão a cair. Isso é tão lindo!

-Bruna olhou para a carinha suspirante da amiga e deu uma gargalhada:

-Lila Libélula não me digas que estas apaixonada? HAHAHAHAHAHAHAHH!!

Lila suspirou e, balançando as asinhas, disse:

- Bruna, vem comigo, eu explico tudo no caminho. Depressa pois temos pouco tempo!

As duas amigas puseram-se a voar pela floresta que, àquela hora deixava os raios de sol entrarem por entre
as mais altas árvores..

A primeira paragem das duas jovens amigas foi na casa do Grilo Palilo.

Lila e Bruna adoravam a companhia de Palilo. Ele era um grilo já adulto,mas gostava muito de brincar e fazer travessuras.

 Palilo estava muito concentrado tentando encontrar novos sons para fazer com suas patinhas. Estava cansado daqueles "cri-cris" queria alguma coisa mais moderna, diferente. Era um grilo muito bem formado, com o corpinho verde vibrante e antenas com pequenos pontos castanhos. Lila e Bruna aproximaram-se sem fazer barulho.

Quando estavam bem atrás do simpatico grilinho, ambas gritaram ao mesmo tempo:

-Grilo Palilo, cabeça de esquilo!!!

O grilo, com o susto que levara, deu um salto e acabou por bater com a cabeça na parede da árvore onde morava. Com a pancanda, seus "cri-cris" acabaram em "cré-crés'.

-Eureca! Esse som é novo, novíssimo! Serei o mais moderno grilo da floresta com esse som apurado e totalmente novo.

Apesar do susto, as meninas ajudaram-me. Muito obrigado! Mas, o que vieram as duas fazer à minha humilde casa?

Lila, balançando as belas asinhas, explicou:

-Viemos convidar-te para a nossa festa de Mabon, que vai  realizar-se hoje ao entardecer em minha casa.

Palilo, esticou as suas antenas, todo interessado:

-Festa? com bolo ? Contem comigo. Digam ao Mabon que eu levarei um belo presente! Um concerto feito especialmente para o aniversariante.
-Palilo, Mabon não é um inseto. É a celebração da chegada do Outono. - Disse Lila a rir muito.

O grilo, que não gostava de se sentir inferior, fez apenas um comentário:

-Eu sabia disso, apenas queria ver se vocês também sabiam. Mas, vamos falar de coisas importantes. Lila, a tua mãezinha vai fazer os bolos não vai?

- Sim Palilo, ela vai sim!
-Podem contar comigo!

Lila pediu então ao grilo que convidasse alguns insetos da floresta e despediu-se dele avisando que não se atrasasse muito porque senão perderia o melhor da festa: os bolos!!

Lila e Bruna saíram a passear pelo bosque sem se preocupar com a hora. Convidaram todos os insetos que desejavam e agora estavam com o tempo livre para brincar à vontade.

Estavam as duas a conversar à sombra de um velho salgueiro quando ouviram um ruído de apavorar. Bruna e Lila levantaram as asinhas e ficaram bem quietas a ouvir aquele som horrível.

-Lila, o que foi isso?
-Calma Bruna. Não há de ser nada...espero - Lila também não estava muito segura. - Vamos ver o que é?

Bruna balançou as asas sobre Lila com cara de espanto:

-Estás doida? Imagine se é um besouro ou um predador qualquer! Estaremos em apuros. Eu vou ficar aqui bem quieta.

Lila, tomou coragem e puxou bruna pelas mãos e disse:

-Vamos, pode ser alguém a precisar de ajuda, vamos!

E lá se foram as duas bem devagarinho. Patinha por patinha, foram aproximando-se de uma pequena fenda num arbustovelho, já quase apodrecendo. Mas, quem iria olhar lá dentro?

- Bruna, olhe  conta-me o que tem lá dentro....

- Eu não, nem pensar. Tu tiveste a idéia, vai tu. - Bruna não estava com coragem
Lila, vagarosamente foi-sese aproximando, aproximando até que colocou os olhinhos na fenda. Estava tudo escuro.

Quando ela esticou a patinha para tocar a escuridão, o rugido começou de novo e Lila teve que se segurar na madeira para não cair. Bruna já tinha-se escondido entre as pétalas de margaridas ali perto.

-Lila, cuidado minha amiga! Vamos embora... - Bruna já estava a ficar nervosa...
Lila, voltou a  aproximar-se do buraco, agora mais cautelosa. Esticou uma antena, depois outra. O seu instinto avisava-lhe que havia alguém a precisar de ajuda. Mas estava tão escuro... Decidiu gritar:

-Ei, está ai alguém?? Alô?
Um ruído rouco e arrepiante respondeu:

-Sim, ajuda-me, acho que torci minha patinha. Ajuda-me!!

A voz era tão feia que Lila quase desistiu. Mas, lembrando-se do que a sua mãe disse sobre "sermos todos filhos da Deusa" ganhou coragem mais uma vez e respondeu:

-Quem és tu? Eu vou ajudar, prometo que vou.

-Sou o Besouro Noturno, por favor ajuda-me. Se eu ficar aqui vou morrerrrr!!! - O ruído rouco era quase insuportável

Lila ficou apavorada. O Besouro Noturno era o pior predador daquela floresta. Alimentava-se de borboletas, lagartas...e libélulas.

Bruna já nem esperou mais. Saiu voando tremendo de medo para mais longe e gritava:

-Lila, saia já daí, ele vai apanhar-te!!!

A pequena libélula saiu voando cheia medo. Mas no meio do caminho, voltou e disse à Bruna:

-Eu vou ajudá-lo. Ele não pode morrer assim. Ajuda-me Bruna!

Bruna pensou e pensou. No seu coraçãozinho sabia que Lila tinha razão.  Assim, depois de fazer muita força, tiraram o inseto e deitaram-no numa folha seca no chão.

O Besouro estava muito fraquinho. Bruna foi buscar água na fonte, que o Besouro bebeu com vontade. Por sorte, sua pata não estava partida, era apenas um arranhão. Quando se sentiu melhor, o Besouro agradeceu:

-Minhas meninas, não sei como agradecer. Não podia imaginar que vocês fosse tão boas. Sei que sou um predador e que muitos insetos me deixariam ali, largado à própria sorte.

Bruna, muito espevitada, logo perguntou:

-Por que te alimenta de nós, então? Nós salvamos-te !

O Besouro suspirou e deu um meio sorriso:

-Minha cara borboleta, a Natureza é sábia. O equilíbrio ecológico precisa ser mantido. É por isso que existem os predadores e as presas. Já imaginaste o que seria da floresta se esse equilíbrio fosse alterado? Haveria muitas borboletas e acabaria por faltar alimento para todas. E se não houvessem borboletas? Quantos besouros morreriam de fome? A Mãe Natureza criou esse ciclo para que todas as coisas vivas pudessem ter a sua vida garantida. Isso implica, é claro, no sacrifício de alguns para o bemde toda a espécie.

Lila, encantada com a explicação do Besouro, convidou-o para a festa de Mabon. O Besouro Noturno aceitou ! Assim, quase como amigos, os três despediram-se e foram cada um para o seu lado.

E a festa de Mabon começara. Quase todos os insetos da floresta estavam presentes. Lila e Bruna estavam radiantes. As jovens tinham trabalhado muito na decoração (feita de folhas secas e teias de aranha novinhas). D. Libélula fez muitos doces e bolos. Joaninhas corriam entre as mesas de flores e até mesmo a orquestra de beija-flores tinha comparecido. Todos dançavam e brincavam.

Tudo ia bem até que um zumbido se fez ouvir ao longe. A orquestra de beija-flores parou de tocar subitamente. Todos conheciam aquele temido som. Era o Besouro Noturno. Grilo Palilo, já com a voz meio enrolada de tanto néctar, gritou:

- O Besouro Noturno!! Salve-se quem puder!!

Todos saíram a correr para procurar um lugar seguro. Só Lila e Bruna sabiam o porquê da presença do Besouro ali e tentavam, em vão, acalmar os presentes sem resultado. O Besouro chegou com seu corpo grande,preto e pesadão até que pousou na à porta da casa de Lila Libélula. Esta, sem nenhum medo, aproximou-se do Besouro Noturno e  ofereceu-lhe uma tacinha de néctar. O Besouro aceitou com o que se pode chamar de sorriso. Mas viu que a casa de Lila estava vazia e perguntou:

-Onde estão todos? Não vieram para a tua festinha amiga libélula

Lila, sem saber como dizer que o responsável pela saída de todos era o próprio besouro, disse:

-Logo todos estarão aqui senhor Besouro, podes ficar tranqüilo.

O Besouro, já mais animado, avisou:

-Tomara que todos venham mesmo. Quero fazer um brinde a ti e à Bruna Borboleta. Salvaram a minha vida hoje e quero que todos saibam disso. Eu estou muito grato às duas.

O Grilo Palilo e Dona Libélula, saíram de seu esconderijo e perguntaram:

-É verdade  Lila? tU e Bruna salvaram o Besouro?

-Sim mÃE. - disse Lila - Ele estava caido  numa fenda de um arbusto. Sabiam que ele nosexplicou porque é chamado de "predador"? É a Mãe Natureza a responsável por isso. Ela criou os predadores e as presas
para que o equilíbrio ecológico fosse mantido. O Besouro Noturno não é mal, apenas cumpre a sua parte na grande Teia que une todos nós seres vivos.

Com essa explicação, todos os insetos que estavam escondidos reapareceram meio ressabiados. Até que uma joaninha colocou a patinha em cima do Besouro. Ele virou-se de repente e esticou as suas longas patas para assombro geral de todos. Mas não atacou a joaninha. Apenas a colocou sobre suas asas e voou com ela pela sala afora, como se fosse um grande baloiço. No final, todas as joaninhas queriam brincar e o Besouro, sentindo-se muito feliz em poder compartilhar aquela alegria. Brincou a noite inteira. A festa foi até de manhã, com muitos doces e muita música...Lila e Bruna, muito bonitas com seus vestidos de pétalas de rosa, abraçaram-se felizes e satisfeitas.

O pôr-do-sol estava lindo naquela tarde. Bruna Borboleta, Lila Libélula e o Besouro Noturno observavam aquele entardecer encantados com o que viam.

Desde a festa de Mabon, tornaram-se amigos, apesar da participação de cada um na cadeia alimentar, as diferenças entre eles praticamente não existiam. Eram todos filhos da Deusa, da Grande Mãe que os criou e que os receberia ao fim de seus dias. Mabon, significou para eles exatamente isso:

A preparação para uma nova vida que viria na primavera. E os três esperariam pela nova Celebração com ansiedade,pois sabiam que haviam recebido da Mãe um grande presente: o segredo da verdadeira amizade !

Adaptado DAQUI

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub