Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Parir em Paz

Parir em Paz

É urgente deixarmos as mulheres PARIREM EM PAZ!!!

As Mulheres escolhem dar à luz nos hospitais, porque acreditam que é "mais seguro" do que o parto domiciliar.
Mas a verdade é que o trabalho de parto e parto, na maioria dos hospitais, cria um conjunto de respostas fisiológicas que realmente ocorrem quando nos sentimos inseguros e desprotegidos. No ambiente hospitalar típico, as mulheres são perturbados, e há falta de privacidade, o que contribui de forma poderosa para a libertação de hormonas de stress, como se as mulheres estivessem em alerta...com uma atitude de "luta" fisiológica ou fuga.

Uma mulher pode acreditar que o hospital é um ambiente seguro e protegido, mas o seu corpo reage de forma bastante diferente... Afinal ainda somos mamiferas :)

Não importa o que diz a cabeça... ou aquilo que a sociedade nos foi transmitindo sobre a segurança do parto.... o corpo recebe a mensagem clara, respondendo a um nível primal intuitivo, ou seja, passando automaticamente em modo de alerta ou fuga... libertando adrenalina, oposta á oxitocina ( produtora de contracções uterinas ) parando assim drasticamente o processo de parto e nascimento, fazendo com que as mulheres sejam "forçadas" fisiologicamente, dando-lhes drogas para acelerar o trabalho de parto, o que o torna mais difícil.

Enquanto não percebermos que uma mulher em trabalho de parto tem necessidade de não ser perturbada.... continuamos a ter o cenário de taxas de cesarianas a aumentar para quase 40%, o uso rotineiro de epidurais em trabalho de parto, e o uso de intervenção com forceps ou ventosas.

Posições verticais encurtam trabalho de parto

Estar deitada durante a dilatação prolonga o trabalho de parto em cerca de uma hora, segundo uma revisão de estudos do The Cochrane Collaboration. Mais vantajoso, dizem os investigadores, é que a grávida fique de pé, sentada ou caminhe durante este período.

Foram analisados 21 estudos realizados em países desenvolvidos, desde a década de 60, envolvendo 3706 mulheres. Verificou-se que adoptar posições verticais durante a primeira fase do trabalho de parto (dilatação) retira uma hora ao processo.

«Na maior parte dos países em vias de desenvolvimento, as mulheres podem estar de pé ou caminhar durante a primeira fase do trabalho de parto, sem que isso produza algum efeito secundário», revelou Annemarie Lawrence, do instituto de saúde materno-infantil do hospital de Townsville em Queensland, na Austrália. «Com base nestes resultados, recomendamos que as mulheres sejam encorajadas a escolher a posição que considerarem mais confortável, alertando-as de que devem evitar permanecer deitadas», sublinhou.

Este resultado vai ao encontro das recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) para o parto normal. No documento elaborado pela OMS, a liberdade de posição e movimento durante o trabalho do parto e o estímulo a posições não supinas (deitadas) durante o trabalho de parto e parto são duas das medidas consideradas «úteis e que deviam ser encorajadas».

As posições verticais têm a ajuda da gravidade como vantagem. Alguns estudos têm demonstrado ainda que o facto de se estar deitada durante o trabalho de parto pode levar o útero a comprimir vasos sanguíneos, fazendo com que as contracções sejam menos eficazes.


A mulher passou a estar deitada e imóvel durante o parto com a medicalização do nascimento. A monitorização do feto e das contracções, os toques vaginais e a observação do parto são mais fáceis de realizar pelos profissionais de saúde se a grávida estiver deitada.


Por isso, muitas maternidades portuguesas ainda têm como regra deitar as mulheres a meio da dilatação. No entanto, algumas instituições já permitem a permanência em pé, desde que não exista qualquer complicação e que tal seja solicitado pela mulher.


Revista Pais&Filhos

10 maneiras de auxiliar uma mulher em trabalho de parto

Este post é para os pais!!
Durante o trabalho de parto, os pais sentem-se muitas vezes inúteis ao tentar auxiliar a mulher gravida em trabalho de parto.
Ter em mente algumas coisas corretas de se fazer e de se dizer é sempre útil.

1. Massajar o rosto da gravida para ajudar a relaxá-la. Todo o tipo de mimos, caricias, beijos são muito apreciados durante o trabalho de parto, mas lembre-se, a sua mulher pode não querer nada disto, o importante é fazer tudo como ela quer...
2. Lembre-a que pode e deve ir á casa de banho. A bexiga e o intestino cheio é desconfortável e não ajuda o trabalho de parto.
3. Pode fazer compressas frias no pescoço e rosto. Até mesmo lavar o rosto levemente, pode ser confortável.
4. Pergunte se ela quer comer ou beber algo, pois ajudara a restaurar as energias perdidas durante o trabalho de parto.
5. Ajude-a a mudar de posição. Algumas posições farão com que o desconforto das contrações diminua.
6. Se a gravida sentir tensão nas costas, faça uma pressão na parte de baixo de suas costas ( zona lombar ), ou onde ela preferir. Com as suas mãos, aplique tanta força quanto ela quiser. Também funciona com uma bola de ténis.
Fazer isso quando ela estiver de gatas no chão, com a cabeça mais baixa que a bacia, ajuda a aliviar o desconforto das contrações.
7. Esteja lá para ela. Mesmo quando ela disser que não quer ser tocada, só o facto de estar presente é muito importante. Pode ficar próximo, para que ela sinta a sua presença, e encoraje-a verbalmente.
8. Tente o chuveiro ou a banheira. A água durante o parto ajuda a aliviar algum desconforto no trabalho de parto.
9. Use um saco de agua quente, uma meia com arroz aquecida no micro-ondas ou um cobertor aquecido para a parte inferior das costas.
10. Lembre-a que o bebé esta quase a chegar e que ela está a ir muito bem!

Podem sempre ligar-me durante o trabalho de parto, as vezes os pais também precisam de ideias, ou simplesmente uma palavra amiga...

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub