Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Parir em Paz

Parir em Paz

Workshop - A placenta e suas utilizações



Próxima formação: Dia 16 de Setembro de 2012 das 10h às 18h
 Vamos aprender a fazer capsulas de placenta, tintura e bolinhas homeopaticas
 Local: Parir em Paz - Sintra - Sº João das Lampas
 Valor: 50 euros sem material incluído ou
 Valor: 200 euros que inclui:
1 desidratador
1 maquina de encapsular
100 cápsulas
1 manual

Ajuda pelo telefone em caso de duvidas

 Destinatarios: Doulas, enfermeiras, grávidas...

 Mais informação: http://beneficiosdaplacenta.blogspot.com/

euquero@parirempaz.com

Comprimidos de placenta - NOVIDADE EM PORTUGAL!

A placenta é conhecida, em muitas partes do mundo, como um suplemento medicinal.

São muitos os benefícios para a placentophagy . Por um lado, a placenta contém vitaminas e minerais que podem ajudar a combater os sintomas de depressão , tais como a vitamina B6. Por outro lado, a placenta é rica em ferro e proteína , muito útil para as mulheres recuperarem do parto , e um benefício particular para as mulheres vegetarianas.

Investigadores do National Institutes of Health (NIH) realizaram um estudo que incidiu sobre a CRH ( hormona libertadora da corticotropina ). A CRH é um limitador de esforço,  produzida pelo hipotálamo . Durante o último trimestre da gravidez , a placenta secreta muita CRH, tanta que  os níveis na corrente sanguínea aumentam para o triplo. No entanto, foi também descoberto que as mulheres no  pós-parto apresentam níveis muito baixos de CRH, desencadeando os sintomas depressivos .
Os investigadores concluíram que a placenta secreta tanta CRH ao ponto que o hipotálamo pára de a produzir .
Depois da placenta nascer ,  o hipotálamo leve algum tempo a obter o sinal que os níveis de CRH estão baixos.. Este é apenas um sinal de que provavelmente há uma causa biológica para o" baby blues", directamente relacionada com os níveis hormonais .

Mais especificamente, os comprimidos de placenta podem ajudar a :

• Aumentar a energia em geral

• Permitir um retorno mais rápido após o parto

• Diminuir a probabilidade de baby blues e depressão pós-parto

• Diminuir a probabilidade de deficiência de ferro

• Diminuir a probabilidade de insónia ou distúrbios do sono


Contra-indicações

Não deve ser usada em mulheres com febre ou com mastite.


Se quer encapsular a sua placenta contacte-me:
catarinapardal@sapo.pt
telm. 919267844

Brevemente curso de encapsulamento de placenta para profissionais!
Mais informação http://beneficiosdaplacenta.blogspot.com/

Placenta Print


Imagem retirada DAQUI onde pode comprar um kit para fazer o print

Antes de mudar de blog, fazer uma cara esquisita ou ficar com vómitos, vamos perceber o que é a placenta: A placenta é um anexo embrionário existente apenas na Classe do mamíferos, através da qual ocorrem as trocas entre a mãe e seu filho. Através da placenta o feto "respira" (ocorrem as trocas de oxigénio e gás carbónico), "alimenta-se" (recebendo directamente os nutrientes por difusão do sangue materno) e excreta produtos de seu metabolismo. A placenta é também um órgão endócrino importante na gravidez, envolvido na produção de diversas hormonas: progesterona, gonadotrofina coriônica (hCG), estrogênio
etc.
Hoje em dia, cada vez mais casais fazem o "ritual da placenta" para honrar e agradecer a um dos mais bonitos ( para mim é...) e místicos órgão do nosso corpo. O print da placenta é um exemplo deste ritual, uma ideia original que pode guardar para o resto da sua vida! Como fazer?







Ideias inspiradoras aqui:
http://homebirth.net.au/
http://birthspool.blogspot.com/2008/02/how-to-make-placenta-print.html
http://www.ehow.com/how_2087499_make-placenta-prints.html

Imagem DAQUI
Mais ideias:
http://www.beautifulbellies.co.nz/Placenta%20Prints
http://rixarixa.blogspot.com/2006/11/she-has-name.html
http://www.homebirth.net.au/2008/04/placenta-printing.html
http://www.homebirth.net.au/2008/07/baby-is-in-bag-placenta-pics.html
http://www.homebirth.net.au/2008/11/collaboration-story.html


Imagem DAQUI

Fico á espera de fotografias dos vossos printes!

Placenta Prévia?

Uma das indicações para cesariana é a Placenta Prévia.

O termo Placenta Prévia abrange todas as inserções da placenta no segmento inferior do útero.

São diferentes tipos de placenta prévia: laterais (ou de implantação baixa), marginais e centrais (estas também podem ser sub-divididas em centrais-parciais e centrais-totais).
Os tipos de placenta prévia são os seguintes:

1- Placenta Prévia central-total: O orifício interno do colo está inteiramente coberto pela placenta, que se vê assim pelo exame especular como através do aminioscópio. O tecido placentário é identificado pelo dedo explorador (cerca de 30 a 40 % dos casos).
2- Placenta Prévia central-parcial: O orifício interno está cerrado incompletamente pela placenta. Podem ver-se ou tocar, tanto as membranas ovulares como o tecido placentário (aproximadamente 30%).
3- Placenta Prévia marginal: A borda placentária, que tangencia o orifício interno, será percebida pelo toque, mas se deixa ver com dificuldade (pelo aminioscópio e pela visão desarmada) (por volta de 30 %).
4- Implantação baixa da placenta: Essa não se vê, nem se toca, mas a palpação percebe quando inserida na face ventral do segmento inferior.

Resumindo: A placenta prévia central cobre o orifício interno. Na marginal, a placenta atinge-o e na lateral, a placenta não o alcança.

A hemorragia é o sintoma principal da placenta prévia e, por sua vez, a placenta prévia é a causa principal de hemorragia no 3º trimestre. Esta hemorragia indolor, de vermelho-sangue vivo, desvinculada de quaisquer esforços ou traumatismos, presente em mais de 90% dos casos de placenta prévia, por via-de-regra despontando no último trimestre, em torno de 34 semanas, mais raramente durante o trabalho de parto.

Ao lado da hemorragia, acompanhando-a ou sucedendo-a, apresentam-se outros sintomas, de freqüência relativa na placenta prévia:

Sinais gerais: Decorrentes da hemorragia e a ela proporcionados.
Sinais físicos: A palpação identificará a má acomodação do feto e nos casos favoráveis reconhece a placenta inserida na face ventral do seguimento inferior (o que será impossível tratando-se de implementações dorsais), sob a forma de massa espessa ou depressível.

O sangramento genital é o sintoma marcante da placenta prévia. Geralmente, manifesta-se na segunda metade da gestação, com mais freqüência no terceiro trimestre, de início de cessar súbitos, repetitivo e, em geral progressivo. Os dados sobre a quantidade de sangramento, idade gestacional, fatores de piora e história da gestação atual devem ser obtidos com detalhes. Freqüentemente, a paciente relata sangramento após relação sexual.
Ocasionalmente, o sangramento poderá ser associado a contrações uterinas, o que nos leva a pensar também em descolamento prematuro de placenta.

O exame especular permite avaliar a intensidade do sangramento (presença de coágulos) e as condições do colo. O toque vaginal não deve ser realizado nas pacientes com sangramento vaginal, a menos que a localização placentária seja conhecida. As placentas prévias central e parcial poderão cursar com sangramento vultuoso até o toque, devendo o mesmo ser realizado em ambiente hospitalar.

Também deverão ser realizados exames laboratoriais: eritrograma, tipagem sangüínea ABO e Rh, e estudo da coagulação.

A ultra-sonografia (preferencialmente pela via transvaginal) confirmará a hipótese diagnóstica, além de diagnosticar a idade gestacional e de avaliar a vitalidade fetal. Constitui o método de escolha para o diagnóstico de placenta prévia, com acuidade de 95%. O diagnóstico ultra-sonográfico de placenta prévia dependerá da idade gestacional. Antes de 32 semanas, o correto seria a denominação de inserção baixa da placenta porque, após essa idade gestacional, ocorrerá a formação do segmento inferior e a placenta poderá “migrar”, não se caracterizando a placenta prévia. A porcentagem de involução da inserção baixa de placenta em placentação normal, após 32 semanas, chega a 90%. Assim, somente 10% das inserções baixas de placenta confirmar-se-ão como placenta prévia.

•TRATAMENTO:
Duas condutas orientam o tratamento da placenta prévia, contemporização e intervenção, aquela indicada antes da maturidade fetal (36-37 semanas), essa se há garantias da viabilidade fetal.
Vários fatores influenciarão no tratamento da placenta prévia. A idade gestacional, a viabilidade fetal, o volume de sangramento vaginal, a classificação da placenta prévia, a apresentação fetal, a posição e a situação fetal, o grau de dilatação cervical e a presença ou não de contrações uterinas são variáveis que indicarão a conduta correta.
Em gestações menores de 37 semanas, a conduta será expectante, desde que o sangramento não coloque a gestante em risco. Em gestações acima de 37 semanas, a conduta será a interrupção da gravidez. A cesariana é a via de eleição na placenta prévia. A via de parto vaginal é reservada para pacientes com placenta prévia marginal e apresentação cefálica.

Placenta retida




Alternativas que podem ajudar...

*Massagem com dedos e polegares no adbómen ( massagem, não é carregar...).

*Colocar o bebe a mamar de preferencia pele com pele

*Peça ao seu companheiro para massajar a parte interna dos calcanhares

[Error: Irreparable invalid markup ('<ambos pés>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

<p><object height="344" width="425"><param name="movie" value="http://www.youtube.com/v/1oiAmRJXXj4&amp;hl=pt-br&amp;fs=1"><param name="allowFullScreen" value="true"><param name="allowscriptaccess" value="always"><embed src="http://www.youtube.com/v/1oiAmRJXXj4&hl=pt-br&fs=1" type="application/x-shockwave-flash" allowscriptaccess="always" allowfullscreen="true" width="425" height="344"></embed></object><br /><br /><br />Alternativas que podem ajudar...<br /><br />*Massagem com dedos e polegares no adbómen ( massagem, não é carregar...).<br /><br />*Colocar o bebe a mamar de preferencia pele com pele<br /><br />*Peça ao seu companheiro para massajar a parte interna dos calcanhares <ambos os pés > e fazer pressão intermitente na parte de trás dos dedos grandes os pés - estas são zonas de refelxologia para a glândula pituitária... pode ser doloroso!<br /><br />*Inspire duas gotas de essencia de jasmim - ou dilui em óleo de amêndoas doces e massaje o abdómen e os pés.<br /><br />*Pressione o ponto de acunpuntura Bexiga 7 ou Intestino Grosso 4 entre polegar e indicador 20-30 vezes intermitentemente.<br /><br />*Bebe chá de framboesa para encorajar o útero a contrair.<br /></p>

O bebé nasceu...O que fazer com a placenta?


recebi este mail muito interesante...

"Ecologia Feminina- Medicina com a Placenta

A placenta é um órgão incrivelmente precioso e completo, sendo também o único órgão “usa e joga fora” que temos. Representa as raízes da criança no terreno da mãe. É feita de dois organismos diferentes e incompatíveis, mas funciona como um único órgão, em completa harmonia. Faz todas as funções de um corpo humano.

é fora de dúvida que permanece uma forma de troca entre placenta e criança mesmo após a expulsão do corpo materno. Tanto é que em outras culturas a placenta é conservada ao lado da criança até a queda do cordão, como sinal de extremo respeito pelos recursos endógenos e pelos tempos da criança, e também na convicção que a placenta continue nutrindo a criança e lhe transmita ainda substâncias preciosas para seu sistema imunológico até estar completamente seca, em seguida poderá ser transformada em remédios (tinturas) que curarão a criança por longos anos e de várias doenças.

Hoje a placenta esta sendo usada como remédio por muitos homeopatas. "

Se quer saber mais....


http://www.moradadafloresta.org/index.php?option=com_content&task=view&id=78&Itemid=1

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2009
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2008
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2007
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub